terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Chamem os Thundercats





    A múmia do futebol paraense parece que não vai querer largar o osso tão cedo. Mun-Há, ou melhor, coronel Nunes tentará novamente a re-re-re-re-re-re-eleição para presidente da FPF. No cargo há mais de uma década, o coronel tem se mostrando inoperante no que se trata ao desenvolvimento real do nosso futebol. Vemos a cada ano nossos clubes, principalmente os do interior, cada vez mais abandonados pela F.PF. Os clubes tem que se virar como podem para conseguir qualquer patrocínio que garantem minimamente o pagamento da folha salarial dos jogadores e funcionários. Quando a Tuna Luso disputou o seu último brasileiro, por exemplo, o time teve que viajar 50 horas de ônibus até Cuiabá, depois mais 40 horas até Campina Grande. Isso tendo que jogar quarta e domingo. Inclusive a respeito disso a ESPN fez uma reportagem na época sobre os sacrifícios que a equipe Lusa estava tendo para disputar o brasileiro da Série C. Enfim, escancarou a vergonha que a F.P.F. faz com nosso futebol. É evidente que os nossos dirigentes, muitos deles completamente amadores, contribuem muito para nosso fracasso, mas a política de fazer futebol da F.P.F. é uma lástima e uma vergonha para o torcedor paraense. Todo jogo com grande público nos nossos estádios sempre tem confusão, demora na fila e uma falta de respeito tremenda com o torcedor dentro do estádio. Todo jogo, a F.P.F. embolsa 10% da renda bruta do jogo, no último RE x PA, 24-02, a F.P.F. lucrou 91 mil reais líquidos, ou seja, arrecadou e não teve nenhuma despesa. São 91 mil reais em apenas um único jogo. Será que com toda essa verba que adentra com força nos cofres da F.P.F. não daria para desenvolver um bom projeto com os clubes que lhe são filiados? Não daria para desenvolver, de fato, vários projetos (em conjunto com o governo do estado) para desenvolver o nosso futebol em lugares mais isolados no nosso estado? Fazendo assim que vários jovens tivessem a oportunidade de terem uma melhor assistência tanto na vida profissional quanto na pessoal. O senador Mário Couto (PSDB-PA) acusou o presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), Antônio Carlos Nunes de Lima, de corrupto, irresponsável, incompetente e autoritário no comando da organização que dirige há mais de dez anos. Segundo afirmou o parlamentar, o futebol do estado do Pará está falido e a culpa é da FPF e de seu presidente. O senador ainda disse em Brasília que iria provar o que estava falando, mas não sei que "cargas d'água" aconteceu que o senador se calou subitamente. Bem ao que parece o coronelismo impetrado no nosso futebol pelo coronel Nunes irá perpetuar por muito tempo, graças a omissão dos nossos dirigentes que por algum motivo, ainda não revelado, não fazem uma oposição para tira-lo do poder. Seriam nossos clubes masoquistas? Enquanto isso o coronel Nunes vai conhecendo o mundo junto com a seleção brasileira e trazendo importantes conhecimentos e experiêncas que vão alavancar o nosso futebol. Lyon cade sua espada justiceira?

Nenhum comentário:

Postar um comentário