sexta-feira, 24 de maio de 2013


PAREDÃO
 


          Adriano Pires de Andrade, o "paredão" Azulino, nasceu em 13/09/1975 em Alambarí-SP. O jogador chegou ao Leão Azul em 2006 vindo do ABC-RN. O goleiro chegou ao Leão para assumir o posto do Danrlei. Rapidamente caiu nas graças da torcida Azulina. Mostrava uma segurança enorme para o time e mesmo com a equipe sendo rebaixada para a Série C em 2007 a torcida o poupou das vaias e dos protestos. No Remo foi bi-campeão paraense (2007/2008). Adriano adorava jogar Re x Pa, talvez gostasse tanto por que na maioria das vezes saía vitorioso de campo. Vamos ver abaixo uma reportagem que saiu no jornal on line da ORM logo após um Re x Pa. (O jogo foi em 2009).

Herói - Farra no setor defensivo azulino. A ineficiência dos zagueiros Bruno Sá e Bruno Oliveira fez do goleiro Adriano o herói do clássico Re-Pa. Enquanto os defensores erravam passes e falhavam na marcação, o arqueiro remista mostrava que o Remo poderia contar com o Paredão. Adriano lutou até o final da partida, quando agarrou o pênalti cobrado pelo meia Rossini e continuou bloqueando as investidas desesperadas dos bicolores.

IncompetÊncia dos marcadores superou habilidade dos atacantes

          Nos gols bicolores, a incompetência dos zagueiros do Leão pesou mais do que a habilidade dos atacantes do Paysandu. E Adriano não teve saída. Da primeira vez, Bruno Oliveira parece ter esquecido de marcar Zeziel. Resultado: sozinho, o jogador cabeceou no contrapé do 'Paredão'. E, na segunda vez, apagão total. Tanto Bruno Sá e Bruno Oliveira deixaram espaço na área para que Vélber tocasse para Zé Augusto, que girou e marcou.
          Mas, a despeito dos gols, o posicionamento, as reposições e, claro, as defesas de Adriano definiram a partida. Isso porque o goleiro nem cobrou falta. 'Treinei bolas paradas tão bem que, se fosse cobrar, poderia ter feito o gol da vitória; mas Deus seria bom demais comigo', declarou. Sobre o pênalti defendido, Adriano só fazia gritar e vibrar: 'Eu sou f...!'. E a torcida azulina correspondia: 'É o melhor goleiro do Brasil', ecoava no Mangueirão.
          Antes da defesa, o Paredão ainda reclamou da marcação com o árbitro Luiz Wilson Seneme. 'Isso não foi pênalti. Mas tudo bem. Vou agarrar. Quero ver se você vai me dar um pênalti também', disse o experiente e confiante goleiro. Rossini bateu no canto esquerdo. E Adriano, que 'dançava' de um lado para o outro na linha do gol, conseguiu pegar impulso suficiente. 'Sabia que, se fosse numa altura que desse para pegar, pegaria', disse.

          O "Paredão" já atuou por diversas equipes do Pará, entre estas as tradicionais Tuna Luso e São Francisco. Atualmente, o ídolo Azulino está disputando a Série C do Campeonato Brasileiro pelo Águia de Marabá e é claro que ele é titular da equipe marabaense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário