quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Tuna Luso Brasileira em seu último brilho nos gramados

          Há muito a Tuna Luso Brasileira não brilha nos gramados, as últimas conquistas da equipe Cruzmaltina do Pará foram a Copa Centenário em 2008 e o primeiro turno do Parazão em 2007. Entretanto, podemos considerar que a equipe viveu seu maior ápice do Século XXI no Campeonato Brasileiro da Série C de 2006. Mesmo sem muitos recursos e com imensas dificuldades, tanto para compra de materiais como de logística para os jogos, a Águia Guerreira do Souza voou alto e por pouco não chegou ao octogonal final da competição.


A CAMPANHA


         A Tuna foi colocada no grupo 1 da Série C, junto com o Rio Negro-AM e ADESG-AC, as duas melhores equipes do grupo classificavam-se à segunda fase. A estreia Cruzmaltina foi no Souza, em Belém, contra a equipe acreana. O jogo caminhava-se para um empate sem gols, quando de maneira inesperada a Tuna marcou três vezes e venceu o confronto por 3 x 0. Nessa partida apareceu a estrela do garoto Beá. Quatro dia após a estreia a Tuna recebia o Rio Negro-AM. Em um jogo bastante movimentado e difícil para os tunantes, o time não saiu de um empate em 2 x 2. Agora para conseguir a classificação a equipe teria que trazer bons resultados dos jogos que faria fora de casa. Missão concluída com sucesso após duas vitórias (Rio Negro 2 x 3 Tuna e ADESG 0 x 1 Tuna). Com a classificação garantida em primeiro lugar do grupo a Tuna partiu à segunda fase.

          Na 2ª fase, a Tuna Luso entrou no grupo 17, juntamente com o Ananindeua-PA, Maranhão-MA e Operário-MT. Logo no primeiro confronto a Tuna tomou um duro golpe, perdeu por 4 x 0 para o Maranhão, em São Luis, após uma viagem de 12 horas de ônibus. Nessa época a CBF não ajudava os clubes com passagens nem hospedagens, portanto cada equipe "tinha que se virar" para se manter na competição e a equipe paraense foi a que mais sofreu com os deslocamentos. Na segunda rodada, a Tuna recuperou-se e bateu o Ananindeua por 2 x 0. Festa para os jogadores após o jogo? Não. Imediatamente após o confronto contra a Tartaruga, a Tuna começava sua peregrinação para jogar em Cuiabá, contra o Operário. Uma viagem de 50 horas aguardava os jogadores. Mas o cansaço da viagem, nem o sol escaldante da capital mato-grossense e muito menos a equipe do Operário foram capazes de derrubar a Tuna Luso. Um empate sem gols, com direito a um penalti perdido pelos donos da casa foi considerado uma vitória para os Cruzmaltinos. Motivo de festa após o jogo? Claro que não. A Tuna tinha que "voar" pela estrada para chegar em Belém e se preparar para encarar novamente o Operário. Na segunda partida entre as equipes, a Tuna massacrou o Operário por 4 x 0, com um show de bola do meia Flamel e do atacante Felipe Mamão. A Tuna seguia bem no grupo e na penúltima rodada encarou o Ananindeua, na Curuzu. Apesar do equilíbrio da partida, a Tuna saiu derrotada de campo por 3 x 2, a Cruz-de-Malta ainda teve um penalti perdido aos 46 minutos do segundo tempo pelo lateral Sinésio. Esse penalti falhado custaria ao time a primeira colocação do grupo. Na ultima rodada, a Tuna encarou o Maranhão no Souza. Bastava empatar para conseguir a classificação à terceira fase, porém a Lusa fez mais do que isso e eliminou os maranhenses da competição com uma vitória por 2 x 1. A Tuna Luso estava na 3ª fase.
           Na 3ª fase do brasileiro a Tuna Luso entrou no grupo 26, juntamente com o Vitória-BA, Treze-PB e River-PI. Logo na estreia a Tuna recebeu o todo poderoso Vitória-BA que tinha em seu elenco vários jogadores que viriam a se destacar no futuro, como o lateral Apodi, o zagueiro David Luiz e o atacante Marcelo Moreno. Esse jogo foi espetacular e entrou para a história do clube. Com o estádio do Souza lotado, todos os 4.000 ingressos foram vendidos, a Tuna venceu a equipe baiana por 3 x 2, com dois gols de Felipe Mamão e um gol de Flamel. Os gols do Vitória foram marcados pelo atacante Marcelo Moreno. Na segunda rodada, a Tuna viajou, de ônibus, até Teresina para encarar o River e perdeu a partida de virada, por 2 x 1. Após o jogo, a Tuna teve que voltar às pressas à Belém, pois em quatro dias enfrentaria o Treze. Na partida contra a equipe paraibana a Tuna controlou o confronto e venceu por 3 x 0. Na próxima rodada a Águia foi até Campina Grande, novamente de ônibus, e perdeu para o Treze por 2 x 0. A Tuna chegava nas duas ultimas rodadas tendo que fazer 4 pontos para classificar-se ao octogonal final. Na penúltima rodada a equipe não decepcionou sua fiel torcida e goleou o River, no Souza, por 4 x 0. Assim, a Cruz-de-Malta chegava na ultima rodada jogando por um empate para se classificar. Mas o confronto seria o mais difícil, o Vitória no lotado Barradão. Para esse confronto o então presidente, Pepe Larrat, fez um esforço e mandou a equipe de avião para Salvador, claro que foram apenas 15 jogadores para a viagem. Infelizmente, a Tuna saiu de campo derrotada por 3 x 0 e com a vitória do Treze sobre o River, em Teresina, a Tuna terminou eliminada da competição, ficando em terceiro lugar do grupo.

O TIME


          A Tuna contava com verdadeiros guerreiros em seu plantel. Jogadores como Kleber, Inácio, Preto Marabá, Preto Barcarena, Hallyson, João Luis, Adelson, Márcio Belém, Flamel, Beá e Felipe Mamão são apenas alguns que honraram o manto Cruzmaltino. Porém, três jogadores, efetivamente, se destacaram durante a campanha e despertaram o interesse de outros times, são eles: o zagueiro Preto Barcarena, o meia Flamel e o atacante Felipe Mamão.

          O zagueiro Preto Barcarena (foto) disputava sua primeira competição nacional na carreira e lembra com carinho daquele time. "Em 2006 estava com 19 anos e fiz um grande Campeonato Brasileiro da Série C, onde chegamos no mata mata e fomos eliminados pelo Vitória-BA. Nesse ano a Tuna não tinha muito dinheiro e alguns jogadores ganhavam um salário de 1.200 reais e nós não viajávamos de avião, apenas de ônibus. Mas estava feliz porque tínhamos jogadores de qualidade e nosso time era muito bom, nunca vou esquecer a Tuna e seus torcedores", relembra o zagueiro. Atualmente, Preto Barcarena visa a disputa do Campeonato Paraense atuando pela equipe do Cametá.




          O meia Flamel era o grande craque da equipe Cruzmaltina. O jogador que na época estava com 22 anos foi uma das revelações da competição e chegou a despertar o interesse do Vitória-BA. O passe do atleta estava avaliado em "milionários" 150 mil reais. Porém, um problema no joelho, que inclusive o afastou da decisão contra o Vitória, fez com que a negociação entre os clubes fosse cancelada. Flamel disputou o ultimo Campeonato Brasileiro da Série C pelo Águia de Marabá.
          Felipe Mamão era o goleador da equipe. O jovem de 20 anos chegava na Tuna por empréstimo vindo do rival Clube do Remo. Não é exagero dizer que o momento vivido pelo centroavante na Tuna foi o melhor da sua carreira. Mostrando um apurado faro de gol, Felipe era a referência no ataque Cruzmaltino e marcou gols decisivos para a Tuna durante a competição. O jogador foi bastante elogiado pela imprensa local e era respeitado até pelos torcedores adversários. Atualmente, Felipe Mamão abandonou os gramados e trabalha em um banco na capital paraense.



A TORCIDA






          A torcida Cruzmaltina lembra com saudosismo dessa época em que a Tuna jogava com brio e dava alegrias à sua torcida. Para o fanático torcedor tunante, Carlos Melo, a Tuna Luso honrou sua história com a campanha que realizou na Série C de 2006. "Em 2006 as dificuldades eram praticamente as mesmas (de atualmente), mas houve empenho para que se formasse um time a altura das nossas tradições e pudesse fazer uma participação digna. Acho que a equipe foi até acima das expectativas. Hoje não tem nada disso", lamenta o bravo torcedor.

          Atualmente, a torcida Cruzmaltina sofre com o descaso que a atual diretoria e diretorias passadas fizeram com o futebol. A Tuna Luso Brasileira, que é bi-campeã brasileira, disputou a última edição da segunda divisão do estadual e amargou a "lanterna" da competição. A esperança permanece na alma dos tunantes, que por mais árduo que seja o caminho jamais desistirão da Águia Guerreira do Souza.

ALGUMAS IMAGENS DA CAMPANHA

Tuna Luso 3 x 0 Treze-PB

https://www.youtube.com/watch?v=jMBgwQK8TG4

2° Gol da Tuna contra o Vitória. (Gol de Felipe Mamão)

https://www.youtube.com/watch?v=mWjRoDCtXsY







       

       

3 comentários:

  1. Time caseiro e muito bom por sinal,prata da casa dar resultado,basta apenas confiar!

    ResponderExcluir
  2. Time caseiro e muito bom por sinal,prata da casa dar resultado,basta apenas confiar!

    ResponderExcluir
  3. Não esqueça que o time da Tuna foi prejudicado pela baderna da torcida do Vitória que não deixou em nenhum momento de soltar rojões perto do hotel em que a equipe tunante estava hospedada.

    ResponderExcluir