quarta-feira, 16 de março de 2016

Remo, Paysandu e seus acordos de TV!!!!



Não é mais novidade que o Esporte Interativo (Turner) entrou no mercado com força total. Após vencer a concorrência pelo direito de transmissão da UEFA Champions League (que há anos era transmitida pela ESPN), agora o foco passa a ser o futebol nacional. O monopólio do Sportv (Globo) com o futebol brasileiro já dura décadas. Nada contra a emissora, que deve-se reconhecer ajudou muito os clubes e iniciou a implementação dos jogos em Pay Per View. Porém, a concorrência é sempre saudável e há algum tempo o acordo já não satisfazia os clubes. Entretanto, o Esporte Interativo veio com uma nova proposta aos clubes. A proposta inicial da emissora é fazer uma distribuição mais equilibrada das cotas entre os times, assim evitando a "espanholização" do Campeonato Brasileiro. Pelos moldes anteriores, Corinthians e Flamengo recebiam praticamente o dobro de outros grandes clubes brasileiros, como Atlético-MG, Grêmio e Internacional. Também não havia o recebimento de "luvas" aos clubes, apenas havia o adiantamento das cotas. Já a proposta do Esporte Interativo há o recebimento de "luvas", fato esse que atraiu muitos clubes. Pela lei Pelé, artigo 42, os direitos de transmissão pertencem as entidades de práticas desportivas (os clubes), ou seja, os dois times de uma partida possuem o direito de transmissão sobre a mesma. Daí a necessidade das emissores fecharem com a maior número de clubes. Caso tenhamos um jogo entre equipes que fecharam com emissoras diferentes a partida não poderá ser transmitida, exceto se as duas emissoras entrarem em acordo. Existem outros diferenciais que podemos discutir em outra postagem, porém vamos ao que interessa ao Remo e ao Paysandu.

O Paysandu acertou essa semana seu acordo com o canal Esporte Interativo. O acordo terá validade apartir de  2019. A emissora terá o direito de transmissão dos jogos do Papão na Série A. Mas já em 2016, como será em 2017 e 2018 o clube receberá as "luvas". Vale ressaltar que a emissora adquiriu o direito de transmitir a Série A e não a Série B (pelo menos até o momento), ou seja, se o Paysandu não estiver na Série A em 2019 o clube, evidentemente, não receberá a sua cota de televisão da EI. Em miúdos, o Paysandu perderá a "cereja do bolo", pois apesar dos valores não terem sido divulgados, estamos falando (com certeza) do maior contrato já jeito por um clube do norte com uma emissora de televisão. Porém, a expectativa do clube e da emissora é que o time esteja na Série A. Vamos torcer.

O Remo ainda não se pronunciou a respeito do assunto. A situação do clube é mais complicada do que a do rival. Basicamente pele clube estar na Série C. O "salto" da Série C para a Série A é maior e nesse caso quanto maior for o "salto" menor o poder de negociação que o clube tem. Porém, nada impede de fecharem um acordo. Que a emissora e o clube desejam isso me parece claro. Agora será que não vai ser melhor, para o Remo, quando o clube estiver na Série B??? Bem vamos aguardar e torcer para que o Leão consiga um grande acordo para fazer um grande time.

Nenhum comentário:

Postar um comentário